Para conhecer: Trindade/RJ

Na quarta-feira passada subimos na moto com rumo a Trindade/RJ!

20160810_123358.jpg
Paradinha no Parque Nacional da Serra da Bocaina, pertinho já de Paraty

Saímos de Congonhal com o tempo nublado e pegamos uns chuviscos logo no meio do caminho pra Pouso Alegre, cidade vizinha. Paramos e esperamos melhorar e seguimos viagem! Quase morri de frio! Rs… E olha que tínhamos ido com calça térmica e bem agasalhados na parte superior. Pegamos muita neblina, o que deixou nossas roupas molhadas, combinadas com o vento da moto… quase congelei! Rs… Mas até que foi uma viagem tranquila, sem muito movimento na estrada. Paramos umas duas vezes só.

20160810_135435.jpg
Em Paraty

Nunca tinha ido em Paraty, e, pra ser sincera não é o tipo de cidade que me atrai muito! Pelo que comentaram a cidade é bem boêmia, com barzinhos e tal, mas, como não bebo e não saio tanto a noite, não é muito o meu tipo de programa. Só almoçamos e rumamos para Trindade.

Nos hospedamos na pousada Lula 40º, que fica praticamente dentro da praia! Rs… Lá  a maioria das pousadas é assim. Pagamos R$60,00 por pessoa com café da manhã incluso. Esse preço é em baixa temporada.

DSC_3812.jpg
Nada mal tomar o café da manhã com essa vista, né?
20160814_083615.jpg
Quartinhos da pousada, bem simples (apenas banheiro, cama de casal, beliche e TV)

Chegamos com o tempo super fechado e muito frio. Achei que pegaríamos chuva, mas felizmente a previsão do tempo era de sol! 🙂 Como chegamos na pousada mais no final da tarde, só demos uma volta na Praia de Fora, que é onde fica a pousada, e na praia do Meio. Tudo é muito perto. Trindade, na verdade é uma vila que responde à Paraty.

20160810_171921.jpg
Tava frio demais!

O café da manhã na maioria dos restaurantes não tem muitas opções veganas! No nosso caso tinha: pão de sal, geleia, suco natural, café e frutas. Comprei azeite (pois adoro pão com azeite de manhã), mais frutas e granola.

Marcelo faz a festa! Rs…

No segundo dia só ficamos na praia de Fora, em frente à pousada. Compramos raquetes de frescobol (excelente aquisição, diga-se de passagem!) e ficamos brincando por lá na parte da manhã. O mar estava super calmo e o tempo limpou, felizmente! Na parte da tarde o tempo começou a fechar, esfriou e choveu um pouco. Aproveitei pra dormir e depois sentar naquele deck e contemplar o mar…

DSC_3802.jpg

Na sexta fomos conhecer as outras praias: Praia do meio, Praia do Caixa d’Aço e a famosa Piscina Natural do Caixa d’Aço. O mar estava super agitado, chegando a dar medo! Nem entramos na água na praia!

20160812_093030.jpg
Mar agitadíssimo na praia do Meio!

Seguimos pra praia do Caixa d’Aço que, das que fomos é a melhor. Tem mais espaço de areia e é uma praia bem mais tranquila, o que gosto bastante. Sou meio chata com lugares muito cheios, então, adorei esse sossego!

20160812_093934

20160812_093127

IMG-20160814-WA0000.jpg

A praia do Caixa d’Aço é absurdamente maravilhosa!

Gostei muito das plaquinhas que tem no caminho da piscina natural, estimulando a preservação do local. Acho isso de extrema importância. Apesar de ser um local turístico eu vi tudo muito bem cuidado, não tinha nada de lixo nas trilhas! Gostei dessa consciência dos visitantes!

20160812_100414

20160812_093007

20160812_100717

20160812_095321

A piscina tem acesso através de uma trilha de uns 15/20 minutos, com bastante pedras mas bem fácil de ser feita. Vi muitas crianças e idosos por lá.

IMG-20160815-WA0001.jpg
A piscina natural, formada por pedras e água do mar!

Uma coisa: tem que tomar cuidado com as pedras. Eu mesma, na hora de vir embora, acabei esbarrando numa pedra e ralando bem o joelho. Sorte que o machucado não foi muito grande e não me impediu de aproveitar a viagem! É preciso muita cautela!

20160812_101144.jpg

Trindade tem MUUUUITOS cães na rua. Muitos mesmo. Mas são todos muito bem cuidados e tanto os moradores quanto os turistas os respeitam bem! Notei até que tinha uma cachorrinha ainda com pontos da castração! Que bom. Porém, conversando com a dona de uma pousada ela disse que há turistas que abandonam os animais lá enquanto viajam! Um absurdo! 😦

20160812_155105
Fofinho!

ALIMENTAÇÃO

A maioria dos restaurantes de lá servem uma opção de prato feito que sai por R$18,00. Nele vem arroz, feijão, batata frita, salada e carne numa porção muito generosa. Nós, veganos, só pedimos para tirar a carne e caprichar na salada. Mas ainda assim tivemos um “probleminha”: na primeira noite saímos pra comer e fomos no Villa’s, que tinha opção de prato vegetariano de legumes salteados. Pedimos e depois de servir e comer notamos que tinha um bacon no feijão. Aí complica. Para não desperdiçar o alimento, comemos normalmente e fizemos essa observação para o gerente que se propôs a ficar mais atento quanto a isso. Acabou que não voltamos mais lá.

Experimentamos outros restaurantes com opção normal de prato feito (sem opção vegetariana, uma pena). Almoçamos no restaurante “Água na Boca”, com comida muito boa, mas fiquei apaixonada pelo tempero do restaurante Branca’s.

No sábado descobrimos o Laranja’s Bar que tinha uma opção de prato vegetariano com brócolis e palmito grelhados. Só pedimos para que eles fizessem o nosso grelhado no azeite e não na manteiga e, felizmente fomos atendidos. Pra mim, o melhor lugar de todos pra comer, com música de excelente qualidade.

OBSERVAÇÕES

  • Trindade tem alguns mercadinhos, então dá pra comprar algumas coisas por lá. Pra quem come normalmente tem bastante opção de bolachas, chocolate, pães… Mas no nosso caso, infelizmente não tinha muita coisa;
  • EXPERIMENTEM O ACAÍ DE LÁ. É o melhor que já comi na vida, parece sorvete Italiano. É um pouco caro, mas vale muito a pena!
  • Se tiver oportunidade, visite a cidade durante a semana. No final de semana as praias e a piscina natural ficam lotadas!
  • O sinal de telefone e internet são bem ruins. Minha operadora é a TIM e não consegui fazer o telefone funcionar. A internet também tinha sinal muito ruim e mal usei. Uma excelente oportunidade pra se desconectar de tudo e curtir as belezas que o local oferece.
  • Não visitamos a cachoeira da pedra que engole… da próxima visitaremos
  • Compensa ir pra lá pra ficar, pelo menos 4 dias.

Olha, quase que não volto embora pra Congonhal! Fiquei apaixonada pelo lugar, pela energia, por tudo. Já tô juntando as pratinhas pra poder voltar pra lá esse ano! Tá aí um lugar que vale MUITO a pena conhecer!

 

 

Anúncios

Campos do Jordão e as últimas novidades

Nossa, há quanto tempo não atualizamos esse blog, hein? Muito! Rs… Mas vamos lá, começando com a principal novidade: nos tornamos veganos. Na verdade em 2014 havíamos nos tornado vegetarianos e agora, em 2016 finalmente nos tornamos veganos. Nós dois já flertávamos com o veganismo há muito tempo, então, depois da mudança para o vegetarianismo e de experimentarmos essa forma de vida por 1 ano e meio resolvemos dar mais um passo rumo à libertação da exploração animal.

Continuamos pedalando, na medida do possível temos passeado e conhecido novos lugares. Nossa última viagem foi no último final de semana, para Campos do Jordão. Na verdade foi uma surpresa MUUUUITO boa do Marcelo, que chegou aqui em casa com um papelzinho dizendo que eu havia sido contemplada com uma viagem para Campos do Jordão e que o embarque seria no domingo dia 27/03! Não sei como ele conseguiu manter essa viagem em segredo por duas semanas. O danado programou tudo e eu jamais imaginei. Não conhecia Campos do Jordão e o Marcelo só tinha ido lá quando ainda era criança. Mas vamos às nossas impressões sobre a nossa estadia.

Marcelo comprou um pacote pelo Groupon, super parecido com aquele que compramos quando fomos à Gonçalves. Check-in no domingo e check-out na terça-feira. Nos hospedamos no hotel Leão da Montanha, que fica numa localização super bacana, bem perto de barzinhos (embora esse não fosse nosso foco nesse passeio). Achei o hotel super gostoso. Ficamos em um apartamento de luxo e, a estadia nos dois dias + café da manhã saiu por R$299,00.

img-slider
Apartamento com varanda, super aconchegante!

Meu único ponto fraco é sobre o café da manhã, que na verdade avalio como fraco por que nós somos veganos. Havia muita opção com bolos, pães, sucos, pães de queijo e afins. Porém, no nosso caso o que pudemos comer foi: pão francês, geleia, suco e frutas. Deixei algumas sugestões para o hotel para talvez colocarem um leite de soja… Mas ainda assim tinha uma salada de frutas deliciosa.

Havíamos pesquisado sobre opções veganas em Campos do Jordão e encontramos esse post contando sobre um hotel com muitas opções veganas e que ainda contava com um resraurante 100% vegano e aberto ao público.Ficamos super felizes por encontrar um local onde não precisaríamos nos preocupar com o menu! Rs…

Como chegamos em Campos um pouco depois do almoço, no final da tarde fomos num restaurante chamado Esfiha do Brimo, especializado em culinária árabe. Algumas opções árabes são veganas, como o falafel, então pedimos uma porção lá (que foi razoavelmente cara, com poucos bolinhos e custou R$27,00). Tomamos também uma limonada libanesa deliciosa.

No domingo demos uma volta ali nas redondezas do hotel para conhecer o espaço e fomos jantar no Restaurante Alquimia, que é o restaurante Vegano. Sobre essa parte gastronômica eu partilhei tudo no instagram (@virandovegana). Lá dei todos os detalhes de preços e as nossas impressões sobre o restaurante. Já adianto que o atendimento é excepcional e a comida é deliciosa. Tudo maravilhoso e com preço MUITO bom, o que é melhor ainda, né? 🙂

Agora sobre os passeios: na segunda de manhã fomos visitar os pontos turísticos que haviamos pesquisado na internet. Nosso primeiro passeio foi no Bosque do silêncio. A entrada é gratuita e tem várias trilhas para se fazer. Tem algumas opções pagas dentro do bosque (como arco e flecha) mas optamos por não fazer nada. Rs… Só caminhamos mesmo e ficamos sentados curtindo o silêncio.

12899866_822434367901409_808887631_n

12899853_822433927901453_1725253655_n

12921172_822432824568230_204045637_n

Depois desse passeio seguimos para conhecer a Ducha de Prata, um espaço com uma espécie de cachoeira. Esse local também é gratuito!

12895492_822432644568248_14129465_n
Quase não tirei foto do lugar!

Depois disso fomos passear no teleférico do morro do elefante. Você embarca em baixo e sobe nas cadeirinhas. Pagamos R$30,00 (15,00 cada um).

12895388_822430651235114_735277645_n

12910758_822425027902343_849259418_n

Quando você chega no alto do morro tem uma espécie de “museu” do elefante, onde contam várias histórias sobre os elefantes. Não achei nada demais. Na entrada eles tiram uma foto e na saída oferecem um chaveiro com a foto da gente por R$10,00. 😦

Ainda queríamos ir no horto florestal mas almoçamos, voltamos para o hotel, dormimos e resolvemos curtir a piscina por lá mesmo. Piscina aquecida super gostosa!

12900063_824002564411256_1833079682_n

O hotel também contava com academia (mas abria as 10hs, juntamente com a piscina e achei um pouco tarde). Nosso tempo era curto então optamos por sair pra conhecer alguns pontos da cidade. Na noite de segunda fomos experimentar as pizzas veganas no restaurante alquimia e choveu bastante a noite também.  No dia seguinte, como faríamos o check-out as 12hs, resolvemos ficar no hotel mesmo, na piscina. Saímos e passamos para o último almoço vegano no alquimia e viemos pra minha cidade, pra depois o Marcelo ir pra Pedreira.

Gostei bastante do Hotel, mesmo com a questão do café da manhã que nem foi um problema! Rs… A cidade também é linda e parece que você está em outro país. Casas lindas, cidade super arborizada, clima gostoso, pessoas super educadas sempre desejando bom dia, mas algumas coisas são MUITO caras. No mais, achei a nossa estadia super válida e indicamos muito esse hotel, pois o custo x benefício é excelente!

 

Pedra do Navio + Pico do Itacolomi

DSC_3824
Flávia, Dona Lourdes, Márcio eu e Márcia

Ontem meu amigo Elder me convidou pra conhecer a Pedra do Navio, que fica em São João da Mata. São várias formas de chegar até o local e optamos por subir a Serra de São Domingos no sentido do bairro Bocaína e chegar lá. Não tinhamos ideia de como fazer isso, o celular não pegava, e acabamos parando numa casa para pedir informação. Que delícia, que povo acolhedor, que já ofereceu café! rs… Ficamos por cerca de uma hora lá, batendo papo com o pessoal, e depois seguimos. Gosto demais dessas “surpresas” que a vida nos proporciona. Conversamos tanto com esse pessoal, foram tão carinhosos conosco. É assim: precisamos permitir, fugir dos “planos” e deixar a coisa acontecer!

Seguimos por alguns km (vários! Rs) e chegamos na famosa “Pedra do Navio”. Eu imaginava um lugar grandão, mas na realidade é uma pedra razoavelmente pequena! Tem um restaurante também, com uma comida deliciosa. O plano era ir conhecer e voltar antes do almoço, mas o lugar foi tão convidativo que foi impossível não ficar mais um pouco por lá.

DSC_3839
Pedra do Navio

DSC_3848

DSC_3849DSC_3863DSC_3864

Almoçamos e decidimos ir para o Pico do Itacolomi, em Santa Rita de Caldas. Tinha um caminho diferente e fomos por ele. É longe! Rs… Mas foi muito legal ir conhecendo novos lugares, parando pra tirar foto… Chegamos lá umas 15:00hs aproximadamente. E que vista!

11911651_717138848430962_1584134526_n
Pico do Itacolomi

11910741_717138565097657_1872053350_n

DSC_3874

Que lugar fantástico! Que paz! Que vista! Tem tipo uma mata no meio da pedra e acho que o pessoal acampa por lá! Achei maravilhoso e até topo um acampamento aí, viu? O nascer e o pôr do sol vistos desse lugar devem ser fantásticos!

Agradeço à vida por poder vivenciar isso! 😀

Pedalada Congonhal x Borda da Mata (Água parada – Barro Amarelo – Bogari – Borda da Mata)

Ontem fizemos um pedal muito legal, de Congonhal à Borda da Mata! Confesso que a volta foi bastante cansativa e sentia minhas pernas pesadas… mas sem sombra de dúvida foi uma experiência incrível. E vamos as fotos:

DSC08009

DSC08011

DSC08010 DSC08013 DSC08017

DSC08018
Uma pausa pra repor as energias! Dá-lhe suco de laranja!

DSC08022 DSC08023 DSC08024

DSC08020
Uma foto na basílica de Nossa Senhora do Carmo

DSC08034

DSC08035
Borda da Mata láááá no fundo. Essa foto já é no final do bairro das almas, aqui em Congonhal

DSC08038Na volta, demos uma passadinha rápida na cachoeira das almas, que é bem famosa!

DSC08039

DSC08040DSC08042DSC08044Nunca tinha ido à cachoeira das almas. Até me envergonho de falar isso, mas só depois que comecei a pedalar que conheci MUITO lugar legal aqui em Congonhal. Ainda vamos marcar de ir na cachoeira com tempo! Ela é bem movimentada, final de semana enche de gente. É isso! Foi uma pedalada e tanto! Bom que o treinamento pra Aparecida do Norte (tá chegando, será dia 18/04) já está sendo realizado! Rs…

Bruna

Pedal de Carnaval

No último domingo reunimos uma turma boa pra pedalar. Marcelo ainda não comprou sua bike mas contamos com a gentileza do Gabriel, nosso amigo, que emprestou uma das suas bikes para que o Marcelo pudesse pedalar (o Gabriel é dono de uma loja especializada em bicicletas aqui em Congonhal). Pois bem, nosso objetivo era conhecer as tais “pedras” que já tínhamos ouvido falar, e que ficam no bairro “Grota Rica”. O lugar é uma espécie de mirante, com acesso um pouco complicadinho de chegar, mas que vale a pena todo e qualquer esforço por proporcionar uma vista FANTÁSTICA da nossa cidade.

Impossível não me sentir feliz (Bruna) por poder ser testemunha de tanta coisa linda, de tanto lugar incrível que estava aqui, pertinho de mim, e que eu não via. A bicicleta tem me proporcionado experiências fantásticas! E vamos as fotos:

DSC07883
Turma do pedal: Marlene, Edialeda, Marcelo, Nelson, Gabriel, Renato e Elder

 DSC07885 DSC07893 DSC07901 DSC07908 DSC07915 DSC07916 DSC07917 DSC07921 DSC07924 DSC07929 DSC07934 DSC07940 DSC07943 DSC07944 DSC07945 DSC07947 DSC07948 DSC07954

Pedalada na Serra de Ipuiuna.

No último sábado pedalamos até a cidade de Ipuiuna. São cerca de 25km de subida de Serra. Serra porém bem mais tranquila e menos íngreme do que a de São Domingos. Foi a primeira vez que pedalei em asfalto, até porque acho meio perigoso e achei bem tranquilo. A única coisa ruim é a dor na bunda depois! Rs…

Não fotografei muito pois consegui encontrar um ritmo legal que me permitiu fazer o trajeto sem descer da bike. Acabamos fotografando apenas quando paramos na Pedra do Mirante, já chegando em Ipuiuna, que tem uma vista SENSACIONAL!

DSC07737
Pedra do Mirante

DSC07738DSC07740

DSC07748DSC07749

DSC07750

Chegando em Ipuiuna, demos uma passadinha na Pastelaria Sinhaninha, da nossa amiga Aninha, pra tomar um super suco de laranja pra repor as energias! 🙂

DSC07756
Na foto: Marius, Elder, Eu e Renato

Foi uma pedalada e tanto! Se soubesse que pedalar é tão bom assim já teria começado antes! Rs… Agora falta o Marcelo adquirir uma bike pra passear conosco! Demos sorte por termos pegado um dia bom, fresco e com poucas nuvens! Foi uma benção!

Cachoeira do Sol, Monte Alegre do Sul/SP

Sábado fomos até Monte Alegre do Sul, que fica a cerca de 30km de Pedreira. Havia pesquisado sobre as cachoeiras da cidade na internet, e são 4. Pelo que li, a cachoeira da Andorinha não é aberta pra que possamos entrar na água, então, acabamos indo na do Sol. Encontrei o contato deles no Facebook e o local é de super fácil acesso. Chegamos lá por volta das 10 da manhã. A taxa para entrada é de R$10,00. Se você deseja acampar, o valor é de R$30,00 e pelo que alguns visitantes comentaram, eles oferecem café da manhã.

DSC07690
Local para camping e banheiros
DSC07704
Última queda, a mais gostosa!

Uma grande pena foi o fato da cachoeira estar com um nível bastante baixo de água! 😦 Apesar disso conseguimos subir na última queda que, aparentemente, era a que estava com maior quantidade de água. Vamos as fotos:DSC07692 DSC07693 DSC07694 DSC07695 DSC07697 DSC07699 DSC07700 DSC07702 DSC07703 DSC07705Depois dessa queda ainda tem uma subida por pedras.Fomos onde fica a nascente da cachoeira. Como tinha pouca água, a mesma estava bem quente, algo meio atípico em se tratando de cachoeiras, mas deu pra aproveitar!

DSC07727
Uma moça que ficamos conversando por lá se ofereceu a tirar uma foto nossa juntos. Só assim mesmo pra eu aparecer por aqui! Rs…

DSC07706 DSC07710 DSC07712 DSC07713 DSC07717 DSC07720 DSC07723 DSC07725Esperamos poder voltar por lá em um momento de cheia. Ah, e pelo que temos percebido, os melhores horários pra quem deseja curtir uma cachoeira com tranquilidade são os da manhã. Recomendamos irem por volta das 08/09hs, assim vocês conseguem aproveitar, pois na parte da tarde o lugar lota. Percebemos isso não só ai, mas também na Cachoeira das Quinze Quedas.